01 junho 2017

Resenha: Pecadora


Livro: Pecadora
Autora: Nana Pauvolih
Editora: Planeta de Livros Brasil - Essência 
Páginas: 384

Sinopse: Todos nós éramos pecadores. Somente uma coisa diferenciava um pecador: as escolhas. Saber o certo e escolher seguir pelo caminho errado em vez de fazer o que era correto. Fechei os olhos. Apesar de tudo que tinha feito naquela noite, não me arrependi. Era pecado, era perdição, mas também era mais do que eu já tinha sonhado em ter. ––– Entre a rígida criação religiosa e o desejo que sempre a consumiu, Isabel precisa se encontrar. Casada há quatro anos com Isaque, seu namorado de adolescência, a jovem sabe que a relação está longe de ser satisfatória. Mas é só quando Isaque fica amigo de Enrico, um publicitário solteiro e bem-sucedido, que a situação começa a ficar insustentável. Agnóstico, sem amarras e cheio de mulheres, Enrico é tudo o que Isabel acredita rejeitar, mas ela não consegue deixar de se sentir interessada pelas histórias que o marido conta dele. Para piorar, ela consegue um emprego na agência dele, e agora terá de passar os dias ao lado do homem que traz à tona seus sentimentos mais proibidos. Neste novo romance, Nana Pauvolih, uma das maiores autoras de romances eróticos do país, mostra que o certo nem sempre precisa ser aquilo que é imposto, e sim aquilo em que se acredita.

"Comecei a questionar por que eu não podia fazer certas coisas, mas, tenho sido tolhida pelos meus pais, aprendi a me calar e aceitar. Só não aprendi a silenciar minhas dúvidas e os desejos."

Oi gente, esse não é meu primeiro contato contato com um livro da Nana, mas apesar de todo erotismo que ela é conhecida está presente, senti uma suavidade maior, a mesma que senti ao ler Pecados e Desejos (outro livro da autora). Pecadora eu decidi que queria comprar assim que vi a capa e na primeira oportunidade comprei e furei a fila rs A leitura fluiu de maneira fácil, me senti envolvida com o drama dos personagens e não consegui parar de ler até chegar ao final.

Antes de começar a falar sobre a história, é válido dizer esse é um daqueles livros que é preciso ter a mente aberta, pois é muito presente questionamentos sobre o extremismo de algumas religiões e a luta da nossa protagonista para buscar um equilíbrio entre o que ela sente e o que acredita que seja certo. Foi exatamente o que me atraiu no livro, como seria abordado o tema e não me decepcionei.

Vamos ao enredo: Logo de início conhecemos Isabel, uma jovem de 21 anos que foi criada para ser uma mulher submissa e temente a Deus. Casou-se cedo e não tem os prazeres da carne, nem antes e nem depois de casada. Porém mesmo acreditando no que aprendeu na igreja do seu pai, ela sente que falta algo no seu casamento, ela quer ser tocada por seu marido, só que ela tem medo disso ser errado. Além disso, ela passa a questionar se realmente é feliz. O que Deus espera dela, se o que ela sente é pecado, será que ela pode buscar novas fontes e chegar a um entendimento de si mesma? Nesse turbilhão de questionamentos ela irá conhecer Enrico, alguém que personifica todos os pensamentos de liberdade que ela deseja.

“Eu queria sentir. Na pele, no corpo, na alma. Ansiava por sensações só minhas, experiências que ficassem na lembrança, algo que suprisse aquela falta de vida que me sufocava cada vez mais.”

Enrico é um cara envolvente, apaixonado pela vida e muito sexual, não tem como não gostar e tudo isso é apenas complemento para a sua personalidade. Com um passado sofrido, ao invés de se lamentar, batalhou e subiu na vida, ajudando a quem precisa e principalmente os animaizinhos (Como não amar??). A forma como é desenvolvido o relacionamento dos dois é gradual , não só o estilo de vida deles é totalmente diferente, como a  forma deles  pensarem. Para somar, Isabel é casada e Enrico não quer se envolver com uma mulher comprometida, ainda por cima esposa de um amigo seu.

Geralmente não falo muito nos personagens secundários, mas em Pecadora eles aparecem bastante, principalmente a família de Isabel. Onde a autora traz temas como fanatismo e intolerância religiosa. Apesar de ser um tema delicado, Nana soube como conduzir a história e nos fazer refletir sobre o amor. 

"As pessoas brigam entre si, matam-se, cada qual defendendo sua religião, quando ela deveria ser o meio da união."

O diferencial deste livro é o quanto os personagens são reais. Muito bem estruturado, nos mostrando sobre imposição religiosa,um casamento sem amor e como é difícil se rebelar contra tudo que você acreditava. Mesmo quando você acredita que está fazendo o certo, a busca pelo equilíbrio, o viver nesse seu novo eu, não é uma transição fácil.

Outra coisa, como já devem imaginar, esse livro não tem muitas cenas eróticas, mas quando chegam… pegam fogo de verdade rs O livro foca mais no desenvolvimento de Isabel, que mesmo com alguns tropeços está em busca da sua felicidade. Quando essas cenas acontecem, você torce tanto, que até comemora kkkk 


"Enrico era a minha salvação e meu tormento, minha contradição e meu alento. Minha fé e minha perdição. Minha loucura e minha razão. E eu não podia conter nada daquilo. Eu só podia me dar, agarrar-me a ele. Sem pensar em mais nada."

Só não achei o livro perfeito, porque senti o final meio corrido. Nana não nos desaponta em mais um romance erótico. Terminei pensando no quanto as pessoas, principalmente mulheres, abdicam da própria satisfação por causa de regras ditas ou não ditas pela sociedade, não só sexualmente falando. Pois muita coisa só quem é mulher sabe como é. A vida é muito melhor quando nos sentimos bem fazendo o que acreditamos, mesmo com todos os dissabores, pois até eles fazem parte.

"Se eu contasse tudo que fiz e faço, você acreditaria em pecado."

12 comentários

  1. Ola
    Também ja fiz essa leitura e gostei, mas concordo sobre o final ser corrido, de resto a história está ótima. Inclusive as cenas sensuais, apesar de nao serem tantas como imaginei a princípio, são bem intensas. Suas impressões refletem bem as minhas próprias, adorei poder conferir a resenha!
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oi
    eu tenho visto bastante esse livro pela blogosfera e apesar de ler livros do gênero, não cheguei a me interessar por esse, a questão é que a premissa não me interessa muito, eu não sou muito a favor de desvios. E não gosto da mistura de erotismo e religião, concordo que tudo em excesso é prejudicial e o fanatismo religioso é um excesso notável, apesar disso não tenho vontade de ler.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oiee Helyssa ^^
    Como eu não gosto de livros com pegadas eróticas (sempre acabo pulando algumas páginas ou lendo por cima mesmo, caso perca alguma coisa importante), esse não me chama a atenção.
    Mas fico feliz que você tenha gostado (quem não gosta de personagens que ajudam animais, né? ♥), e também fico feliz em saber que a autora conseguiu abordar temas tão delicados (religião e fanatismo) de forma delicada. Uma pena que o final tenha deixado a desejar. Quem sabe um dia...
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Quero ler esse livro sim!
    Conheço a escrita da autora e apesar desse final meio corrido que você mencionou, acho que o decorrer vale a pena.
    Sem falar que quero ver como uma garota criada com um mulher conservadora consegue de "libertar"
    Adorei a dica e já add na lista de leitura.
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu tive a oportunidade de solicitar essa obra da editora Planeta, mas não sei, tenho um ligeiro pé atrás com autora. Já li outras obras dela e realmente não me prendeu, quando eu li a sinopse desse livro eu já pensei que seria a mesma coisa. Eu não gosto muito de livros em que um dos personagens é comprometido, realmente me agonia, e casada? Minha nossa, não! Gostei da mensagem que passa para as mulher e pela sua resenha deu pra ver que você gostou bastante apesar do final. Não é uma obra que eu me interesso, mas a sua resenha está maravilhosa ♥
    Um beijo

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Eu gostei muito desse livro também, a temática que a autora aborda é bem inovadora e faz o leitor pensar em quantas mulheres vivem da mesma maneira por aí e não conseguem se libertar disso.
    O final é um pouco corrido mesmo, mas mesmo assim o livro vale a muito a pena.
    Sua resenha está ótima como sempre ^^

    ResponderExcluir
  7. Oi, Helyssa!
    Os livros da Nana são sempre bastante interessantes né? Acho que além de todo o romance, os temas abordados no pano de fundo geralemte são muito importantes. É muito legal saber que a autora conseguiu lidar e mostrar em sua narrativa a questão da intolerância e fanatismo religioso, principalmente quando tanta gente sofre com isso. Ah! e que bom que você aproveitou a leitura apesar do final corrido!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá Helyssa,
    Ainda não li nada dessa autora, mas tenho vontade de ler esse livro, apesar de ter medo por ela ser conhecida por todo o erotismo que envolve em suas histórias. Achei legal nesse volume isso não estar tão presente e gostei de saber que os personagens são reais. Acho que isso é um grande diferencial mesmo.
    Vou anotar a dica e me arriscar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá! Uau, sou só eu ou está quente aqui? kkkkkkk
    Devo confessar que não conheço as obras dessa autora, mas me interessei pelo tema. É uma pena que tenha tanta gente no mundo envolvida em casamento insatisfatório, com medo do que aconteceria se largasse, se se permitisse. Me interessei pela premissa, vou anotar a dica!

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Gosto muito de quando livros eróticos trazem esse questionamento, e como sou bem mente aberta, adoro ler livros de tal estilo. Ainda não tive a oportunidade de ler nada da autora, mas tenho a sensação que esse seria uma boa obra para começar.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi,tudo bem?
    Confesso que não conhecia esse livro ainda e que não sou fã desse gênero, sabe? Mas achei interessante a história abordar o extremismo de algumas religiões e me parece uma trama bem interessante, pois tudo parece ter sido bem construído. Enfim, espero um dia ter oportunidade de ler, pois fiquei curiosa.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  12. Ooi! Se tem um estilo que me mantenho longe, este é romance, os eroticos , pra mim, sao mais intragaveis ainda, mas a obra parece ser um prato cheio para os admiradores da obra, certamente repassarei a dica. Ah, muito legal a forma como a autora parece construir seus personagens, às vezes um secundário é primordial pra uma trama. enfim, abraço!

    ResponderExcluir

© BLOG TELL ME A BOOK- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por