19 agosto 2017

Resenha: A Rainha Vermelha

Título: A Rainha Vermelha (A Rainha Vermelha #1)
Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas:424

Sinopse: O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses. Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.


Pra mim é complicado falar sobre livros distópicos, pois são muitos elementos a serem abordados para tentar colocar quem está  lendo a resenha ambientado na história do livro, mas vamos lá. A Rainha Vermelha conta sobre uma sociedade distópica que utiliza a monarquia e a população é dividida entre vermelhos e prateados.

Prateados são os reis e nobres, o sangue deles é prateado. Eles são comumente conhecidos como descendentes dos deuses, afinal, de acordo com sua linhagem (cada grande família possui um dom especial) eles podem: manipular o fogo, a água, o ar, as plantas, o ferro ou inúmeros outros elementos. Eles são fortes e temidos pelos que não possuem poderes, que no caso são os de sangue vermelho. Grande parte da população possui o sangue vermelho, estes são os  pobres que vivem direta ou indiretamente a serviço dos prateados e não podem reclamar da vida que levam pois sabem que os prateados são superiores eles. Para provar esse ponto, o governo prateado promove lutas mensais entre prateados, obrigando a população vermelha a  assistir e lembrar o quão poderosos eles são.
“O mundo é prateado, mas também cinza. Não existem o preto e o branco.”

Durante a leitura tive a impressão de já ter lido elementos  parecidos, acredito que todo leitor de distopia também vá ter essa sensação, mas a autora conseguiu criar algo inovador. Logo no primeiro capítulo, somos apresentados em primeira pessoa a difícil realidade de Mare como vermelha. Assim como a maioria dos vermelhos, ela e sua família vivem na miséria e ao avançar das páginas o sentimento de injustiça por essa parte da população se intensifica. Sua vida muda drasticamente após um acontecimento inesperado e violento, quando ela passa a trabalhar no palácio real. Seu primeiro dia de trabalho é durante a cerimônia de escolha da esposa do príncipe herdeiro. 

Justamente nesse dia, Mare descobre possuir um poder misterioso apesar de seu sangue vermelho. Porém, a realeza não poderia deixá-la andando livremente por aí, assim, ela é obrigada a fazer todos acreditarem que ela é uma prateada. Uma raça que ela odeia desde sempre e que governa com tamanha desigualdade. Acho que já deu para sentir o clima do livro rs
“É um pesadelo. Vou passar o resto da vida presa, forçada a ser outra pessoa. Forçada a ser um deles. Um fantoche. Um espetáculo para manter o povo feliz, quieto e oprimido.”

Apenas com o ponto de vista de Mare durante a leitura, somos influenciados pelo o que ela sabe e vê. Isso não atrapalha a leitura, na verdade a torna ainda melhor e reveladora e podemos acompanhar pelo olhar de quem sofre a opressão e tem a oportunidade de fazer algo para mudar a realidade de todos. Como toda boa mocinha de séries distópica, ela é forte e corajosa e tem seu lado teimoso. Mesmo querendo dar uns sacodes nela em alguns momentos, ainda torcemos por ela. A parte romântica é como deveria ser em todas as distopias, apenas um plano de fundo para toda trama politica  que acontece no livro, temos poucos vislumbres.

O livro é complexo e bem desenvolvido. Com muitas mentiras e manipulações, como uma boa monarquia merece. Apesar de todos os clichês que podemos vislumbrar na obra, a verdade é que a autora teve influências muito boas e cada um deveria tirar suas próprias conclusões durante a leitura. A trama te prende do início ao fim,quase virei a noite lendo. O clima de tensão fica presente durante toda a leitura e podemos acompanhar Mare descobrindo não só o seu poder, mas o que esperar de cada personagem. Quero muito ler a continuação, apesar de estar com medo do sofrimento que pode vir pela frente. Leitura mais do que recomendada. 

14 comentários

  1. Olá
    Sou bem suspeita em comentar, mas eu amo essa premissa e sempre recomendo muito essa leitura. Sobre os elementos na trama, compreendo bem o que você comentou, ainda mais porque em distopias os cenários são bem parecidos mesmo. Gosto muito do ponto de vista da Mare e acho isso bem instigante. Adorei poder conferir as suas impressões!
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem?
    Menina vejo muita gente falar bem desse livro que até que finalmente comprei e acredita que a leitura não me agradou e eu parei de ler talvez seja por não ser um bom momento pretendo continuar ele algum dia.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Helyssa! Vai ser um baita sofrimento mesmo! rsrs
    Eu já li todos os livros lançados e gostei bastante. Confesso que todos eles têm altos e baixos, mas a leitura é super válida se você curtiu esse primeiro livro.
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  4. Concordo com você sobre a questão de quando se lê distopia para que sempre algo se repete mas depois sempre vem alguma coisa nova, é como assistir filmes de terror, por isso amo certos gêneros, porque talvez se repitam mesmo.

    Greice

    Blogando Livros

    ResponderExcluir
  5. Oi Helyssa,
    Não li esse livro ainda e me sinto muito mal por ter perdido esse hype, sabe? Gostei de conhecer sua resenha e fiquei muito feliz por você ter dito que que o livro é complexo e bem desenvolvido. Meu único receio é que esse livro parece ser um misto de diversas outras histórias, sabe?
    Vou tentar ler esse livro para ontem.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá Helyssa,
    Esse livro parece ser muito interessante mesmo. Nunca li nada do gênero mas sempre tive curiosidade. Inclusive tem algumas séries que tratam de alguma coisa parecida, The Crowd, não?!

    Essa capa é muito linda, adoro quando optam pelo design e minimalismo, evitando usarem modelos humanos.

    Parabéns pelo texto.
    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  7. Oii, tudo bem? Que bom que gostou da leitura! Fiz a leitura desse livro ano passado e no começo também senti que já tinha lido aquilo em algum lugar. Acontece que já li taantas obras com premissas parecidas que é impossível não recordar uma coisa ou outra. A Mare não me convenceu muito como protagonista, e em alguns momentos cheguei a torcer pelos vilões, sério. O segundo livro também não me conquistou totalmente. Agora me resta ler o terceiro e conferir se a Mare amadurece mais. Gostei da resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler essa série, mas ainda me falta um livro para dar inicio, adorei a resenha e ao ler ela, só aumentou o meu interesse em dar inicio o quanto antes a leitura.

    ResponderExcluir
  9. Olá...
    Adorei sua resenha!!!
    Infelizmente, ainda não tive oportunidade de ler esse livro, mas, tenho muito interesse! Creio que essas ressalvas que você na resenha irão me incomodar um pouco, mas, vou dar uma oportunidade para essa obra, pois, tanta gente elogia que preciso urgentemente ter uma opinião sobre ele rsrs...
    Dica notada!
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Ai, tão triste o que direi, mas essa série não me desce. Eu acho que devo ter muitos problemas, porque todo mundo curte e eu não gosto nem das capas.
    Desculpe, você escreve muito bem, mas nem assim me atraí para a leitura.
    Desculpe!
    www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá! Desde o lançamento dessa obra eu quero lê-la.
    Toda vez que leio uma resenha positiva, como a sua, eu fico ainda mais ansiosa para ter o meu exemplar em mãos!
    Apesar de ter diversos elementos parecidos, o que ocorre em muitas distopias, o fato de você dizer que a autora conseguiu inovar fez meu interesse pela obra aumentar, pois não é fácil inovar em um gênero que já tem muitas e muitas obras...
    Enfim, parabéns pela resenha ^^

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu não costumo ler muitas distopias, por essa razão não fico realmente animada com essa obra, sabe? Mas acho a premissa bem bacana, toda essa divisão da sociedade por sangue e os prateadores terem poderes. A protagonista parece ser muito bem desenvolvida e a obra parece ser envolvente mesmo.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  13. Sou muito fã dessa série, mesmo tendo elementos muito parecidos com os de outras séries a autora conseguiu me prender de uma maneira incrível, e acabei ficando apaixonada pela maneira com que ela escreve.
    Já li o segundo e adorei também, doida para ler o terceiro e ver as tretas que ele vai trazer

    ResponderExcluir
  14. Já tinha ouvido pessoas falarem muito bem desse livro, mas essa resenha arrasou.

    ResponderExcluir

© BLOG TELL ME A BOOK- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por